Metas e emoções: Quando eu quero, será que posso?



Hoje li um artigo muito interessante do Dr. Sérgio Ricardo, no qual me inspirei para falar sobre. E o assunto é pra lá de legal, pelo menos pra mim, que sofro com baixa auto estima. — para ler o artigo na íntegra e sem edição, clique aqui

E hoje quero falar sobre como a confiança em si mesmo pode nos ajudar a estabelecer metas e cumprir nossos objetivos sem olhar se a grama (neste caso o caminho) do vizinho é mais verdinha.

Olhe o seu “caminho”, trace sua rota e persista! Imagem: Reprodução da Internet

E segundo o Dr. Sérgio, uma questão em relação a metas e objetivos que é ignorada, e que o problema, é que essa questão é um dos principais motivos para uma meta fracassar.

Normalmente, ao definir uma meta sugere-se ser o mais claro possível, vamos supor 2 exemplos:

Maria Abadia tem 38 anos e 83 quilos, decidiu que em 25 de julho de 2018 vai começar um programa de reeducação alimentar para, em seu aniversário, dia 25 de setembro de 2018 estar com 77 quilos.

• Paulo Fernandes tem 47 anos e possui uma loja de roupas no Centro do Rio de Janeiro. Ele decidiu que no período entre 28 de junho de 2018 até 28 de julho de 2018, ele irá aumentar o faturamento da empresa em 10% a mais que o faturamento do mesmo período do ano passado.

Podemos observar que os dois exemplos estão bem estruturados, racionais e de fácil entendimento pois tem o prazo inicial e o prazo final, estes facilmente vistos no calendário e o objetivo final específico para ser de fácil identificação se concluiu ou não a meta.

Mas, se é racional, facilmente colocado em calendário ou planilhas empresariais/financeiras, porque mesmo assim muitas pessoas não conseguem conquistar?

O doutor Sérgio continua:

– Porque falta a parte emocional da meta. Pois é importante perceber, que em nossos 2 exemplos, as pessoas que definiriam as metas realmente desejam os resultados esperados: Maria quer emagrecer e Fernandes quer aumentar o faturamento.

Entretanto, é real pensar que Maria já se acostumou a viver com seu peso e Fernandes deve viver bem com seu faturamento atual. E que eles podem ser facilmente vencidos pelas tentações: a pizza e o refrigerante no final de semana da Maria, ou aquelas ligações aos clientes que ficaram de dar resposta que podem ser deixadas para depois do Fernandes. Durante esse caminho vão ocorrer tentações e até mesmo algumas dificuldades. E é por isso, que metas totalmente racionais sem um peso emocional não funcionam tão bem, já que ao definir sua meta, você deve ter certeza de que falhar com a meta não é uma opção.

Maria, por exemplo, deve pensar além, e ter uma clara noção de qual vai ser a primeira roupa que ela vai usar, ao adquirir o peso desejado. Vai ser um vestido novo? Uma saia da moda ou aquele jeans que já não entra a muitos anos?

Qual vai ser a primeira coisa que Maria vai falar ao subir na balança e ver seu peso desejado? O que ela vai pensar ao ver que conquistou a meta? Que superou todos os obstáculos que foram surgindo ao longo das semanas? Que ela foi mais forte que as tentações?

Maria consegue se imaginar olhando para o espelho e vendo uma Maria mais bonita, mais magra? Maria consegue se imaginar com uma saúde melhor? Brincando com sua sobrinha de 3 anos, Júlia, e se sentindo mais disposta por causa de sua nova educação alimentar?

É muito importante que esses cenários mentais estejam claros ao definir sua meta, você precisa ter certeza de que falhar com a meta não é uma opção.

No caso do Fernandes, ele já vive bem com sua família com o faturamento atual de sua loja. Aumentar seu faturamento não vai gerar grandes mudanças em sua vida. Perceba como Fernandes precisa de uma motivação muito mais emocional do que a racional que ele já definiu corretamente?

Fernandes precisa saber exatamente o que ele vai fazer com esse faturamento extra. Ele consegue se imaginar olhando os relatórios e analisando que conquistou seu aumento? Por que é importante para o Fernandes esse aumento? Ele vai investir em um melhor ambiente para seus clientes? Para que seus clientes se sintam completamente especiais ao entrarem na loja?

Quem vai ser a primeira pessoa que Fernandes vai comunicar a conquista de sua meta? Que superou o cansaço, a procrastinação e conquistou sua meta? Fernandes vai investir em publicidade para mudar a vida (para melhor) de um maior número de clientes?

“Eu quero colocar uma marca no universo” – Steve Jobs

Eu quero, eu posso e eu consigo! Imagem: Reprodução da Internet

Você consegue ver a diferença de como é muito mais forte quando juntamos uma meta emocional com uma meta racional? É muito importante definir claramente o peso emocional em sua meta, porque apenas assim você vai enfrentar e superar os obstáculos que vão surgir.

Legal né? Que tal então começarmos hoje a colocar no papel nossos desejos e metas, mas também na nossa mente que é possível: Que se eu quero, eu posso, eu vou conseguir? Rumo aos resultados a uma vida mais significante e mais feliz!

Leia também: 

Como gostar do seu Trabalho!

De onde vem a desmotivação? – By Álvaro Fernando

Vamos mudar o mundo? – Por Dariane Vale

 

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *