#ImaginariumLovers




(inglês fan)
substantivo de dois gêneros

1. [Informal]  Indivíduo que admira entusiasticamente uma figura pública, geralmente do mundo do .espetáculo. = ADMIRADOR

2. [Informal]  Pessoa que nutre grande admiração por alguém ou alguma coisa.

Que eu amo quando a criatividade é aliada com a qualidade e inovação, vocês já sabem, pois estou sempre compartilhando experiências com vocês, principalmente quando faz parte do mundo inclusivo. Para mim, é impossível não falar de criatividade, e não lembrar da Imaginarium, que é uma loja que todos amam, e traz sempre para nós produtos para presentear a quem amamos e a nós mesmos.

E falando em presentear a si mesmo, venho trazer a linda história do Rodrigo Pimenta, um super fã da marca. Vamos conhecê-lo?

Sou Rodrigo, um mineiro nato.
Porém não tive uma infância como são retratadas em livros sobre os meninos do interior.

Apesar de ser fruto de uma família abastada, mas também trabalhadora, nunca fui de frequentar as ruas para brincar de peão, bola de gude, pega pega ou brincadeiras nesse sentido, fui criado de forma rústica em uma fazenda, onde o meu contato era limitado aos animais. Logo que entrei pra escola, saia de casa cedo para a cidade próxima e retornava a fazenda ao final das aulas. Minha infância sempre foi em casa sobre livros e cadernos, como meu avô paterno vivia comigo, ele preenchia os vazios sufocantes que sentia e a brincadeira se resumia a correr atrás das galinhas, fugir do gado, andar a cavalo e contar estrelas nas noites de céu estrelado deitado na grama.

Conhecendo a imaginarium

Quando entrei na pré-adolescência, os estudos começavam a exigir mais de mim. De modo que eu ficava intrigado como as demais crianças tinham tanto tempo para brincar, mas eu era aprisionado a minha própria casa.
Afinal mamãe sempre dizia que eu tinha que brincar dentro de casa, e às vezes no máximo no quintal atrás da casa, mas jamais na rua ou com aquelas crianças que muitas vezes, sabia só o nome por conta da escola.

Meu primeiro encanto de Rodrigo com a marca Imaginarium, se deu mais ou menos nessa época, e ele continua:

Eu ainda me lembro que estávamos próximos ao Dia das Crianças.
Meus pais tinham planejado levar minha irmã e eu para um passeio no shopping de Uberlândia para que escolhêssemos nosso presente naquele ano. O que era uma coisa rara, pois meu pai apesar de nos amar, sempre foi muito bruto, rústico e sistemático.

Minha irmã logo encontrou uma linda boneca em uma loja de brinquedos e se derreteu de amores. Só que no meu caso, nada naquela loja me agradava, de modo que continuamos com o passeio pelo shopping e logo me deparei com uma loja toda preta com produtos fascinantes chamada Iimaginarium, a qual foi amor a primeira vista. É, realmente estamos falando de amor! Não imaginava um dia eu amar assim, aquele momento parecia que estava vivendo um sonho e eu queria viver nele eternamente sem jamais acordar, pois não conseguiria encarar a realidade da vida sem trazer aquele universo fantástico pro meu mundo, pro meu dia a dia.

Eram tantos produtos legais e divertidos que eu nunca havia imaginado que poderiam existir. E foi quando vi uma luminária azul que havia um líquido e soltava umas bolhas. Era linda!
Depois de algum tempo descobri que se chamava luminária Lava. Era aquele o presente que eu queria, nunca havia visto algo tão fascinante.
Mas, minha alegria durou pouco, pois por mais encantado que eu estivesse com a luminária, meu pai se recusou me dar e me deu um outro presente, um brinquedo qualquer num intuito de repressão.
Recordo-me que era a moda dos skates de dedos, tamagoshi, os vídeos games para computador. A turma já não ia tanto para a rua e as brincadeiras se fixavam na casa de alguém que tinha um pc de ultima geração para jogar ou fazer uma disputa esperta pela manobra mais eletrizante com os dedos sobre o skate. Todo esse cenário, para mim não tinha nenhum valor, como aquela luminária que nunca saiu da minha cabeça. E todas as vezes que eu passava na porta da Imaginarium, meus olhos se enchiam de esperança, os produtos me encantavam e a “bendita” luminária ainda chamava minha atenção. Que vontade ter todas aquelas lindezas!

Só que tudo nesse universo Imaginarium sempre foi além do que eu podia pagar e além de meus pais não me darem, meu pai me agredia muito a cada vez que eu desejava um produto da loja. Um dia, eu sozinho na vitrine da loja, olhei novamente em direção aquela luminária lava azul, e naquele momento prometi a mim mesmo que eu iria crescer e que um dia eu não passaria mais vontade e teria tudo que eu nunca pude ter daquela loja.

O começo de um Sonho

O tempo foi passando, e Rodrigo ganhava dos avós nos aniversários e natais algum dinheiro, e ele decidiu guardar até que fosse suficiente para comprar algo da Imaginarium.

E eu entrei naquela loja que parecia um parque de diversões na minha cabeça, mas, por mais que eu houvesse juntado todo o dinheiro possível, ainda não era muito e os produtos da loja ainda bem caros para o valor que eu tinha guardado até então.

Mas foi suficiente para comprar meu primeiro produto: um cofre de madeira vermelho chamado, “Em caso de emergência quebre o vidro”. Era um cofre muito bonito tipo uma caixinha, com um vidro transparente na frente. Levei essa belezura pra casa e decidi que nele colocaria apenas moedas de R$1,00. E foi graças a esse cofre que eu hoje tenho o orgulho de dizer que eu construí no meu quarto, o meu império Imaginarium e superei essa dor da infância. Esse cofre impulsionou os maiores sonhos.

A partir desse dia, eu quis fazer parte de tudo que a Imaginarium lançava, de modo que a Imaginarium se tornou parte da minha vida. E hoje eu tenho no meu quarto, meu próprio império pra me fazer bem, pra me entreter, pra me tirar um pouco dessa realidade cruel. E posso afirmar que o sentido da minha vida é manter esse império que aos olhos de muitos são produtos fúteis, mas aos meus olhos, cada produto é um pequeno tesouro que compõe meu império, o qual meu maior medo é um dia não conseguir manter, afinal de contas, tê-lo exige um padrão de vida elevado e além disso, poucas pessoas me incentivam ou acreditam nesse meu legado. Acaba sendo muito difícil ser compreendido, mas cada lançamento é uma esperança que nasce, uma sementinha que brota em mim como um estimulo pra eu seguir em frente!

Falar de Imaginarium pra mim, não é falar de uma loja, de um comércio como os outros, é falar de uma verdadeira fábrica de sonhos que trouxe e traz sentido pra minha realidade, onde porta retratos ganharam cores, almofadas ganharam formas, canecas ganharam diversão, cofres ganharam inúmeras funções, mochilas e bolsas ganharam originalidade e passaram alem de ditar moda, imprimir personalidade, luminárias mexem com o lúdico, cada produto tem além da sua funcionalidade outro lado, um lado fun! Que poucas pessoas se dispõem a conhecer. E que sou apaixonado.

Além da imensa variedade de produtos que tenho, verdadeiras relíquias, guardo com carinho inúmeros catálogos, tags, adesivos, sacolas, que tento colecionar, o que é muito difícil devido ao fato de não haver franquia Imaginarium na minha cidade, e eu acabo na maioria das vezes ficando sem consegui-los, pois sou cliente da loja virtual, e ela não oferece os catálogos físicos, que eu passo o ano todo imaginando como serão os próximos!

Parafraseando Picasso: “Tudo que se pode imaginar é real” e foi isso que a Imaginarium fez, transformou minha vida, deu sentido, esperança e muitas alegrias!

Veja também: Conheça a coleção Friends para a Imaginarium.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *