Arquivos da categoria: Paraplégico

A vida amorosa das pessoas com deficiência

Falar sobre questões que envolvem pessoas com deficiência sempre foi um desafio, já que sempre vive esbarrando nas mais diversas áreas, sendo elas científicas, educacionais, éticas e até culturais.

E quando o assunto é amor e relacionamentos infelizmente entramos também no campo da estética e das vaidades humanas. Tanto é que em 2012, a BBC transmitiu um programa que falava do relacionamento das pessoas com deficiência. E foi o constatado que o preconceito existe, já que em determinada pesquisa, ficou constatado pelo jornal britânico The Observer, que 70% dos entrevistados disseram que não fariam sexo com uma pessoa com deficiente.

Imagem: Reprodução da Internet

Mas as coisas estão mudando. E de acordo com o site “Sem Barreiras”, a internet tem contribuído para que um grande número de pessoas com deficiências encontrem seus amores e parceiros nos sites de namoro e relacionamentos. Isto porque os primeiros contatos virtuais por e-mails e outras formas de bate-papo via computador eliminam o impacto inicial, o estigma, os preconceitos herdados culturalmente de quem vê uma pessoa com deficiência pela primeira vez.

Imagem: Reprodução da Internet

De modo algum devemos estranhar o namorar de alguém deficiência, desde que esse alguém não seja também “deficiente”. Pois na minha família mesmo tem pessoas com deficiência visual que são casadas com outras pessoas com deficiência visual, e eu conheço pessoas surdas que são casadas com outros surdos. O que não quer dizer que não existam casais em que um possuem alguma deficiência e o outro não. Ou seja não quer dizer uma pessoa com deficiência física, auditiva, visual ou outra vai se interessar apenas por pessoas com a mesma deficiência, como se todos os outros aspectos, como gostos, afinidades, idade fossem nulos ou banais, bastava os dois ter alguma deficiência. 

Deficiência não define caráter e da mesma forma que dinheiro define felicidade. O mais importante é focar na pessoa e não na sua deficiência. Até por que muitas delas são super estudiosos, comunicativos, gostam de festas, cinema, bar e shopping. Ou seja, agem como pessoas comuns sem deficiência. Devemos pensar que o amor e dificuldades nos relacionamentos existem na “saúde e na doença”.

E parafraseando Mila Correa do site Lugar de Mulher, eu também tenho a felicidade de conviver com pessoas com deficiência de todos os jeitos e posso ver que elas são perfeitamente capazes de ter qualquer tipo de relacionamento, quando se tem uma chance. Mas, enquanto muitas pessoas ainda nos enxergarem como seres de outro mundo, ficaremos a mercê desses julgamentos sobre nosso lugar e sobre o que nos é permitido.

Não há como diminuir atitudes preconceituosas como essas enquanto cada um não admitir os seus próprios preconceitos para com as pessoas com deficiência e coibi-los. Enquanto as pessoas ainda apresentarem dificuldade para ver além da nossa deficiência, sem também ignora-la, teremos comportamentos absurdos sentidos na pele, já que a opressão estão ao nosso lado, e o preconceito está no nosso dia-dia.

Tags , , , , , , , , , , , , , , ,

Isenção de IPI na compra de carro para Pessoas com Deficiências

As Pessoas com deficiências – PCD tem direito a isenção de IPI, ICMS, IPVA e IOF ao adquirir veículos, e esta vigora há mais de 20 anos. Este benefício abrange também idosos com sequelas físicas ou motoras.

Em 2013, foi estendida a familiares de deficientes que não podem dirigir. E foram incluídas patologias que reduzem a mobilidade, como tendinite crônica.

Hoje, a lei somente concede a isenção a pessoas com impedimentos de ordem física, visual e mental e a autistas, privando pessoas com outros tipos de deficiência sensorial do direito de usufruir do benefício. Ou seja,  as pessoas com deficiência auditiva não tem esse direito, por exemplo. Mas isso está para mudar, já que o Senador Romário pretende corrigir a “injustiça legal” de não incluir todos os deficientes como beneficiários, de modo que propôs a adoção de um conceito mais amplo de pessoa com deficiência, previsto na Lei Brasileira de Inclusão, que remete à avaliação biopsicossocial, superando somente o conceito médico.

Para Romário, a isenção do IPI é uma forma de contribuir com a mobilidade da pessoa com deficiência, que terá mais facilidade para adquirir um automóvel. O PLS 28/2017 segue agora para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) para decisão terminativa. Ou seja, sem necessidade de ir a Plenário, a menos que haja recurso.

Nós aqui do Blog ficamos felizes com a notícia e esperamos que sejamos incluídos na lei, uma vez que padecemos de nossas próprias dificuldades no dia a dia dentro da sociedade, gastamos com pilhas, aparelhos, implantes, moldes e etc. Vamos torcer!

 

 

 

Tags , , , , , , ,

Dia internacional da Síndrome de Down: Comunicação Acessível

Hoje é o dia internacional da Síndrome de Down,

Gosto de pensar que um cromossomo a mais torna essas pessoas ainda mais lindas, queridas e especiais. Sei que hoje é um dia de lembrar as lutas para essas pessoas e suas famílias, mas também é um dia de glória, pois diante de tantas dificuldades, tem havido muitas vitórias. Por isso uma série de postagens sobre o assunto.

De todas as bandeiras do movimento e luta quanto a inclusão e acessibilidade está a comunicação. E quero direcionar este post para o respeito pela dignidade, pela independência, pela liberdade de fazer as próprias escolhas e pela autonomia individual das pessoas com deficiência, além de maior participação e inclusão na sociedade e pela a igualdade de oportunidades, conforme Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência”, ratificada pelo Brasil em 2008.

Esse é o Asher, modelo infantil com Síndrome de Down. Imagem: Reprodução/Facebook/Kidswithdownsyndrome

Já que para que todos esses princípios se concretizem, o acesso à informação é fundamental. E é necessário tornar a comunicação acessível, isso significa adaptar as informações, para que todas as pessoas, inclusive aquelas que tenham alguma deficiência, possam ter plena compreensão de seu conteúdo. As adequações devem ser feitas tanto na forma quanto no conteúdo da mensagem. Também é necessário colocar legendas em materiais audiovisuais, imagens e fotografias é possível que as pessoas com síndrome de Down e outras deficiências intelectuais adquiram conhecimento sobre si mesmas e sobre o mundo que as envolve.

Leia também:

A beleza da diversidade, do talento e do respeito

Compreendendo o “Mundo dos Diferentes”.

Tags , , , , , , , , , , , ,

Férias 2016 – A praia acessível de Fortaleza

Lá em Fortaleza eu fiquei encantando ao encontrar o Programa Praia Acessível, que já tinha visto falar apenas por alto. E foi naPraia de Iracema que esbarrei com o projeto.

Em Fortaleza, o programa tem como objetivo oferecer equipamentos e tecnologia para que pessoas com deficiência possam usufruir da praia e do banho de mar com segurança e dignidade. O projeto também funciona em outras praias do litoral de SP, RJ e Nordeste.

IMG_3141

IMG_3159

As cadeiras: 

As cadeiras anfíbias são conhecidas como Air Fryb e são feitas com um tipo de pneu especial, que permite superar a dificuldade de locomoção na areia, e também não afundam na água. Devido à sua altura, é possível o usuário entrar na água, em uma profundidade não perigosa no mar. Existe facilidade na transferência para a cadeira, que possui braços removíveis.

IMG_3150

A equipe: 

Atualmente (maio/2016), a equipe da Estação “Praia de Iracema” é composta por 6 pessoas da Prefeitura de Fortaleza. E conheci a Jakeline que é fisioterapeuta, e trabalha no projeto desde a criação, em março desse ano. Juntamente com ela, trabalham também 4 pessoas da guarda municipal, e 4 bombeiros. E estes prestam auxilio aos visitantes.

IMG_3143

IMG_3153

IMG_3154

IMG_3155

Um destes, foi o Senhor Raimundo, de 65 anos. E foi acompanhado dos netos André e Denise.

IMG_3145

IMG_3146

Senhor Raimundo, com a equipe. Prestes a tomar banho de mar.

IMG_3147

Conheci também a Gigi, que devido um acidente em 2010 ficou tetraplégica e recentemente teve câncer de mama. Apesar de tudo, não se deixa abater e é funcionária do projeto na Praia de Iracema.

Ela conheceu o projeto em 2014, em São Paulo. Segundo ela a cadeira  importada da marca “Mobi Chair”, é bem confortável, e tem certeza que é a melhor que ela já usou. Acredita que o projeto é excelente, e sem ele não teria a oportunidade de nadar no mar, sem se machucar, se não houvesse essa facilidade e conforto. Olha ela aí, todo sorridente e simpática ao meu lado;

IMG_3156

 

Agradeço a todos pela gentileza e atenção dispensada, que o projeto seja ampliado para outras praias que ainda não as tem.

 

Quando ir: 

Um espaço de lazer com esteiras e cadeiras anfíbias, que possibilitam o acesso do público-alvo ao mar, estará disponível de quarta a domingo, de 9h às 14h, na Praia de Iracema. A área conta com estrutura para vôlei e frescobol adaptados, piscinas, cadeiras e mesas cobertas com toldos, banheiro acessível e itens de segurança.

Saiba mais:

Em Portugal – Praia para todos.

Leia também:

O maior Cajueiro do Mundo – RN

Hotel Iracema Travel – Fortaleza- CE

O melhor combo – “Jalapeño Bacon Burguer” e as “Fritas Trufadas” – The Fifties Recife

Como fazer Viagens Econômicas

Tags , , , , , , , , , , , , ,

Teleton 2012!

Booom dia,
Chegou o grande dia de mais um Teleton! Chegou a hora de ajudar os pacientes da AACD. E já são 15 anos, bastante tempo né?

Olha só, o que já conseguimos: 

  • 2011 Meta: Construção da AACD Vitória/ES e Campina Grande (PB), Arrecadação: R$26.802.633,00
  • 2010 Meta: Construção da AACD Mogi das Cruzes/SP Arrecadação: R$ 23.971.095,00
  • 2009 Meta: Construção da AACD Poços de Caldas (MG) e mais 2 unidades em São Paulo (SP). Arrecadação: R$ 23.971.095,00
  • 2008 Meta: Diminuir a espera por atendimento nas unidades. Arrecadação: R$ 18.955.948,00
  • 2007 Meta: Construção da AACD São José do Rio Preto (SP) Arrecadação: R$ 17.111.159,00
  • 2006 Meta: Manutenção das unidades existentes e aumento do número de cirurgias de escoliose Arrecadação: R$ 16.162.588,00
  • 2005 Meta: Construção da AACD Joinville (SC) Arrecadação: R$ 16.162.588,00
  • 2004 Meta: Manutenção das unidades existentes e ampliação do Hospital Abreu Sodré (construção de 18 apartamentos em 5 pavimentos) Arrecadação: R$ 16.616.032,00
  • 2003 Meta: Construção da AACD Nova Iguaçu (RJ) Arrecadação: R$ 15.000.000,00
  • 2002 Meta: Construção da AACD Osasco (SP) Arrecadação: R$ 16.015.454,00
  • 2001 Meta: Ampliação do número de atendimentos na AACD sede Arrecadação: R$ 11.847.000,00
  • 2000 Meta: Construção da AACD Uberlândia (MG) Arrecadação: R$ 10.226.000,00
  • 1999 Meta: Construção da AACD Porto Alegre (RS) Arrecadação: R$ 10.147.000,00
  • 1998 Meta: Construção da AACD Recife (PE) e reforma da unidade Mooca (SP) Arrecadação: R$ 14.855.000,00

Sobre o Teleton

O Teleton foi criado em 1966, nos Estados Unidos, pelo ator e comediante Jerry Lewis, que teve um filho com distrofia muscular. Desde então, é realizado anualmente e serviu de inspiração para outras campanhas televisivas pelo mundo.
No Brasil, o primeiro Teleton ocorreu em 16 de maio de 1998 no SBT com o objetivo de levantar recursos para o tratamento e reabilitação de pacientes atendidos nas unidades da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente). Em sua primeira edição, o projeto arrecadou R$ 14.855.000,00 que foram utilizados para a construção de uma nova unidade da AACD em Recife (PE) e na reforma da unidade da Mooca, em São Paulo.
Em 2011, o evento arrecadou R$ 26,8 milhões, valor destinado à construção de duas novas unidades da instituição, em Vitória/ES e Campina Grande (PB), que devem ser concluídas no final de 2012.
Todos os anos, durante a exibição do Teleton, o SBT tem uma programação especial totalmente voltada ao projeto. Em suas 26 horas, reportagens especiais sobre o trabalho feito pela a AACD, prestações de contas, artistas renomados e atrações musicais são apresentadas ao público diretamente dos estúdios do SBT no Complexo Anhanguera, ao vivo para todo o Brasil. Nesta 15ª edição, que acontece nos dias 9 e 10 de novembro 2012, a meta ficou ainda maior: R$ 25 milhões, suficientes para a instituição manter os 13 centros já existentes e realizar mais atendimentos.

Sobre a AACD

A AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) é uma instituição sem fins lucrativos cuja missão é “Promover a prevenção, habilitação e reabilitação de pessoas com deficiência física, especialmente de crianças, adolescentes e jovens, favorecendo a integração social”.
Em 1950, o Dr. Renato da Costa Bomfim, ao lado de um grupo de idealistas, fundou a AACD com o objetivo de disponibilizar no Brasil um centro de reabilitação com a mesma qualidade dos estrangeiros.
Antes de ser um grande complexo, a AACD já chegou a funcionar em dois pequenos sobrados na Rua Barão de Piracicaba, em São Paulo. Em 1963, o primeiro centro foi inaugurado num terreno doado pela prefeitura e localizado na Rua Ascendino Reis, que funciona até os dias de hoje, no bairro do Ibirapuera.
Em 2011, a AACD realizou 1.498.485 atendimentos nos 13 centros de reabilitação distribuídos em seis diferentes Estados: AACD Ibirapuera (SP), AACD Mooca (SP), AACD Santana(SP), AACD Campo Grande (SP), AACD Osasco (SP), AACD São José do Rio Preto (SP), AACD Recife (PE), AACD Uberlândia (MG), AACD Porto Alegre (RS), AACD Nova Iguaçu (RJ), AACD Joinville (SC) e na AACD Poços de Caldas (MG) e AACD Mogi das Cruzes (SP).

E em 2012, não vai ser diferente, vamos todos ajudar. Hoje e amanhã, o SBT apóia a AACD com uma programação pra lá de especial. Não deixe de participar!!

Tags , , ,

Carrossel do SBT promove a Inclusão Social!

Em breve “Carrossel” do SBT, promoverá a discussão à Inclusão Social por meio do personagem cadeirante, Tom (inspirado no boneco Tonzinho do Teleton).
Sobre o ator João Lucas Takaki: Estreante na TV, João Lucas tem nove anos e viverá na trama a experiência que ele mesmo tem na vida real.
 “Não somos coitadinhos. Com a novela, conseguiremos mostrar para o público que a inclusão social é fundamental e que a criança, que tem a oportunidade de conviver com as pessoas com deficiência, acaba sendo mais crítica com os locais que não são acessíveis. Poderemos mostrar também que um cadeirante pode ter uma vida normal. A cadeira de rodas não passa de um acessório, que ajuda na locomoção, não é um motivo para a exclusão”.
João Lucas conta também que já sofreu discriminação. Segundo ele, uma agência de modelos não o aceitou por ser cadeirante, e outra disse que ele só poderia ser modelo fotográfico de rosto.
Estudante da quarta série, Takaki, nas horas vagas, gosta de jogar videogame e ir ao shopping e à praia.
Sobre o personagem Tom:
Tom ficou paraplégico depois de um acidente de carro que matou seu pai.
Sua mãe Glória (vivida pela atriz Tereza Villela Xavier), é a nova professora de inglês da Escola Mundial. Tom vive recluso em casa, sempre fica observando as pessoas pela janela e tem medo de ser motivo de chacota para as outras crianças por não poder brincar, correr e andar com as mesmas.
Ele é descoberto pelos alunos do terceiro ano e é encorajado a sair de casa. Depois de ganhar confiança e fazer grandes amigos, ele vai estudar na Escola Mundial.
De acordo com a assessoria do SBT as cenas de João Lucas irão ao ar por volta do capítulo 100, que de acordo com minhas contas feitas, devem ser exibidas na primeira semana de outubro.
Dicas para se relacionar bem com pessoas com deficiência física (Fonte: Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida):

  • Não se apóie na cadeira de rodas, isso pode causar algum tipo de incômodo à pessoa com deficiência, que têm neste equipamento a complementação da sua mobilidade.
  • Use palavras como “correr” e “andar” naturalmente, as pessoas com deficiência física também utilizam estes termos.
  • Para conversar com uma pessoa em cadeira de rodas, caso a conversa seja prolongada, sente-se para ficar no mesmo nível de seu olhar.
  • Nunca movimente a cadeira de rodas sem antes pedir permissão e perguntar como deve proceder.
  • Se estiver acompanhando uma pessoa que anda devagar, procure acompanhar o seu ritmo.
  • A pessoa com paralisia cerebral pode apresentar alguma dificuldade na comunicação; no entanto, na maioria das vezes o seu raciocínio está intacto. Caso não compreenda o que diz, peça que repita, ou escreva, respeitando o ritmo de sua fala.
E lembre-se: A informação é fundamental para vencermos as barreiras do preconceito e da discriminação. Ao buscarmos a informação, exercitamos o respeito à diversidade humana. Munidos de informação, descobrimos que a maior barreira em relação às pessoas com deficiência é a nossa própria atitude!
Parabéns a Íris Abravanel, ao elenco de Carrossel e ao SBT.
Vamos combater a discriminação de pessoas com deficiência!
Tags , , , , , , , , , , , ,