Arquivos da categoria: Compras

Collab: Libras agora está na/ com Tudu

Oi gente, tudo bem com vocês?

Quem me segue no Instagram já sabe que tenho uma novidade. Trata-se de uma Collab que muito representa e me honra.

Acabei de lançar junto com a Tudu uma coleção com camisetas, canecas e moletons com tema Libras. Ainda não tinha tido o tempo para vir aqui contar, mas eu estava super ansioso por este momento.

E aí gostaram? Essas peças e outras nas mas diversas cores e estampas podem ser adquiridas direto no site da Tudu e você poderá ainda ganhar R$ 20 OFF na sua primeira compra no site. Ou ainda comprar 3 camisetas e cada uma saidá por R$ 39,90 cada.

Sobre a TUDU 

Fundada em 2020, a Tudu  é uma retailtech que surgiu com o objetivo de transformar a maneira de vender roupas e outros objetos como canecas, planners e diversos artigos de papelaria e decoração. Com itens fabricados sob demanda, sem desperdício e com material de qualidade, a Tudu trabalha com parceiros licenciados como a Netflix, Hello Kitty, Disney, Marvel, entre outros, e também desenvolve collabs ou coleções fixas com mais de 30 artistas e influenciadores, como Renato Gave, Kika Sato, Mônica Salgado e Ju Ferraz. Nascida dentro da PHOOTO, empresa que ajuda o cliente final a realizar um trabalho customizado de fotos, com mais de 1 milhão de clientes já atendidos e mais de 3 milhões de pedidos realizados desde a sua fundação, a Tudu atua dentro de um processo sustentável de venda que valoriza o artista e o cliente final. Recentemente, foi listada entre 3 startups brasileiras mais inovadoras no ranking da Startup Pill, que destaca as melhores startups de roupas e vestuário do mundo

Tags , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Siga o Caminho: Lojas Trailler

Esses dias fiz uma fotos para uma loja maravilhosa, a Trailler oficial. Com looks masculinos maravilhosos a marca é ideal para homens modernos, e que gostam de estar na moda. 
Ela é a mais nova marca do grupo Rima´s, que sempre estão INVESTINDO  em profissionais capacitados e fica sempre por dentro das tendências e matérias-primas que fazem cada coleção ser única e desejada pelo jovem moderno.
Claro que a locação é maravilhosa mas já viu a beleza dessa camiseta? É “Trailler”.
Tanto é que a marca vem buscando desenvolver  e comercializar produtos com qualidade e rentabilidade, proporcionando satisfação aos consumidores. Atendendo os pré-requisitos de forma dinâmica e inovadora, buscando bem-estar e conforto e tem como visão, estar no ramo de confecção masculina, com excelência na formação de referência da moda goiana e brasileira.
Fotos: Bia Miranda (Instagram: @_biaa_).
Acessórios: Chili Beans Shopping Cerrado e Hifly Shopping Passeio das Águas.
Camiseta: Trailler Oficial (@traillerOficial).
Siga o Caminho: Lojas Trailler
Tags , , , , , , , , , ,

O estilo Mr Brooks

Semana tá começando. E que tal começá-la com roupa nova?

E precisando de roupa nova, eu indico a Mr Brooks – Shopping Bouganville, que está pronta pra me receber.

Sou apaixonado pela marca, e na última semana estive na loja.

E você que também é moderno, jovem, exigente e quer sempre manter atualizado, seja seu estilo social ou casual.

Nessa visita eu escolhi pra mim uma camisa manga 3/4, um modelo e corte bem atual e a cor é super tendência para 2017, olha que linda:

E ai, gostaram? Eu achei muito linda, e garanti a minha. E o melhor tudo que essa peça estava com qualidade e acabamento pra lá de impecável. E o atendimento no dia, da equipe do Venâncio – Nota 10!

E isso que é bom. Isso é excelente! E gosto de pensar que moda é estar feliz não apenas com uma peça tendência, que se está usando mundo afora, moda é sim sentir a “magia” das compras, é conforto, é vestir o que gosta.

E é do bom atendimento, seja num shopping, num brechó ou numa feira. É ter certeza da qualidade, e que meu dinheiro está sendo bem investido, e é pensar que poderei usar a minha aquisição nos mais variados locais.

E isso é importante pra mim. E a Mr Brooks, não me deixa esquecer esses valores. Por isso eu uso, por isso indico!

Tags , , , , , , , , ,

Dicas: Viagens Econômicas

Eu amo viajar, e sempre que posso procuro fazer algo em algum lugar desconhecido.

Mas com a crise que assola o mundo e nosso país temos que economizar ao máximo para não entrar no vermelho ou estourar o limite do cartão.

Pensando nisso preparei algumas dicas e espero que gostem.

 

1 – Planejar o orçamento!

photo_53921_20110820

– É preciso ter em mente o quanto você ganha e o quanto você pode gastar. Comece anotando num caderno ou numa planilha no Excel todos seus ganhos e todos seus gastos pessoais. Pronto, agora é começar economizar cortando itens não necessários.

2 – Defina o(s) destinos dos seus sonhos!

– Pense em três ou mais destinos que você sempre quis conhecer. Se em alguns destes a moeda local é inferior ou hospedagem mais em conta, melhor ainda.

3 – Pesquise o preço das passagens em sites como o Decolar, Submarino Viagens ou Melhores Destinos, em duas ou três datas diferentes e analise o quanto sairia a passagem de ida e volta para os destinos e veja qual destino está mais acessível e que caiba no seu orçamento. Achou uma passagem que você pode pagar nesses sites? Ótimo, mas não compre neles. Vá no site da companhia aérea escolhida e compre por lá e economize não pagando taxas cobradas pelos sites de busca.

neve-humana-andarilho-sapatos-de-neve-sapato-pessoas-trek_121-93758

Será que um dos seus destinos é esquiar na neve?

4 – Tenha flexibilidade!

– Se o custo do seu destino dos sonhos estourar seu orçamento, procure ter flexibilidade:

  • Na escolha de data: Baixa temporada tem preços de até 70% em passagens e hospedagens quando em alta temporada. E mais um mesmo trecho pode variar até 500%, então novamente digo, tente datas diferentes e evite 6ª e 2ª feiras, que possuem o maior fluxo.
  • Não compre passagens com muita antecedência, não vale a pena. O melhor momento para comprar voos é 2 a 3 meses antes da viagem, mas fique atento, as vezes rola promoções antecipadas. Também não deixe mais para cima da hora, com menos de 15 dias.
  • Na escolha do seu destino: Seguindo as primeiras dicas que mencionamos de listar possíveis destinos, que tal acrescentar outros mais baratos? É possível mudar também o estilo da viagem. Pare e pense: Há realmente a necessidade de se hospedar em um hotel quatro ou cinco estrelas, sendo que dificilmente usufruirá de todas as regalias oferecidas, e ficará a maior parte do dia fazendo passeios? Que tal trocar um hotel ou resort caríssimo, por um mais simples, talvez 3 estrelas ou quem sabe um albergue, com quartos compartilhados?
  • Para economizar ainda mais, seria possível diminuir o tempo de estadia? Ficar apenas nove dias quando estava programando ficaria quinze dias é uma boa opção.
  • Mesmo que seja para um feriado,escolha pra onde e quando ir de acordo com as promoções disponíveis. Já se foi o tempo que viajar pelo Brasil e de ônibus era mais barato. Esqueça essa regra! Você pode se surpreender e passar 6 dias maravilhosos numa paradisíaca ilha caribenha, pois muitas dessas ilhas por exemplo, são bem mais baratas do que viajar pro nordeste ou sudeste brasileiro!

5 – Use suas milhas e pontos do seu cartão de crédito.

– Aproveite para acumular mais voando pelas suas companhias aéreas preferidas. E por usar seu cartão de crédito e trocando por pontos.

Viajar-barato-utilizando-as-suas-milhas-aéreas-cartões

Possui programa de milhagens? Aproveite esses pontos para trocar por descontos na sua viagem ou até mesmo viajar gratuitamente, pagando apenas as taxas de embarque.

Ainda não possui? Faça agora mesmo o da GOL, da TAM, da Avianca, e da Azul.

Aproveite nossas dicas, economize e boa viagem!

Tags , , , , , , , , , ,

Tributação de produtos comprados no Exterior

           Com o avanço da tecnologia e com o crescente lançamento de produtos importados que inclusive demoram para chegar no Brasil e quando chegam, estão com um preço absurdamente alto e desleal se comparado ao preço no país de origem, muitas pessoas recorrem a lojas internacionais que entregam no Brasil, para a compra do tão sonhado celular, tablet, utensílios domésticos, peças de carros, roupas, perfumes e até brinquedos. 

Embora os preços em dólar ou euro, somados com valores altos de frete, muitas vezes fiquem ainda abaixo dos praticados por muitos produtos vendidos por aqui, existe a probabilidade de sua compra ser tributada atendendo a um decreto do Ministério da Fazenda. 

Por que pagamos impostos sobre importação?
 
      Basicamente, os impostos que incidem sobre as operações de importação visam proteger o mercado interno brasileiro. Por exemplo, suponha que você queira comprar um aparelho de celular nos Estados Unidos. Embora o modelo específico recém-lançado por lá ainda não exista aqui, existem modelos similares, com menos recursos, mas que se enquadram na categoria celular, fabricados no Brasil. 
Assim, caso todo mundo optasse por comprar apenas no exterior, os produtos brasileiros seriam deixados de lado, gerando prejuízos para os fabricantes nacionais, desaquecimento no mercado interno e, consequentemente, aumento no desemprego. Para que isso não ocorra, ou ao menos possa ser minimizado, o governo (aliás, todos os governos do mundo) regula essas transações tributando os produtos. 
Sobre cada categoria de produto incidem impostos distintos. Os mais comuns, no caso das compras pela internet, são o II (Imposto de Importação), IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). 
Entendendo o Regime de Tributação Simplificado
 
O sistema de tributação nas importações é regulado pelo RTS (Regime de Tributação Simplificada). Graças a esse Decreto-Lei (n° 1804/80), ao fazer compras no exterior cujo valor seja inferior a US$ 500, é aplicado sobre o produto uma alíquota única sobre a mercadoria.
Na prática, o que isso significa? Simples. Some o valor do produto que você comprou com o valor do frete. O percentual da tributação sobre a encomenda é de 60%. Um exemplo: um celular que custe US$ 250 e tenha mais US$ 50 de frete, pode ser tributado em até US$ 180. Todo esse percentual é destinado ao governo federal.
Além disso, alguns estados cobram ICMS sobre a mercadoria. O percentual é variável, indo mesmo da isenção até tarifas de 10% sobre o valor total já com impostos. Voltando ao nosso exemplo: o celular de US$ 250, com frete de US$ 50 e tributação de US$ 180, totalizando US$ 480, se comprado em um estado como a Bahia, que tem uma alíquota de 10% de ICMS, pode chegar a US$ 524.
Algumas mercadorias, contudo, são isentas de tributação: livros, jornais e periódicos, de acordo com o artigo 150 da Constituição Federal, e encomendas enviadas de pessoa física para pessoa física e com valor declarado inferior a US$ 50 não pagam a alíquota de 60%. 
É possível escapar da tributação?
 
Em tese, nenhum produto que se enquadrasse nas características citadas acima deveria escapar da tributação. Entretanto, você já deve conhecer casos de pessoas que compraram pela internet produtos de alto valor e não foram tributadas. Da mesma forma, usuários com compras de preço baixos muitas vezes acabam pagando a tributação, como previsto em lei.
Isso acontece pela seguinte razão: atualmente, o volume de importações realizadas pelos brasileiros é enorme, muito maior do que o número de fiscais disponíveis para avaliar cada uma das encomendas recebidas. Assim, a solução encontrada para que os produtos não se acumulassem nos depósitos da Receita Federal foi a de realizar o processo por amostragem.
Ou seja, de cada grupo de produtos, apenas alguns são analisados e, consequentemente, tributados. Assim, ao menos nesse caso, a sorte pode estar ao seu lado e a sua mercadoria pode chegar a suas mãos sem que seja preciso pagar algum tipo de tributação. Considere como uma bonificação ou uma espécie de desconto do seu orçamento original.
Entretanto, caso sua encomenda seja pega em uma situação como essa, a mercadoria, em vez de ir para a sua casa, irá para a agência dos Correios mais próxima à sua residência. Você receberá uma correspondência informando da tributação e deverá pagá-la, direto nos Correios, para poder retirar seu material. 
Quando a encomenda vem por serviço comum de correio, o comprador recebe uma Nota de Tributação Simplificada (NTS) e um Documento de Arrecadação das Receitas Federais (DARF) com indicação de valor e da agência onde deve pagar o imposto para retirar o desejado produto.
Fique atento ao valor da sua tributação
 
Caso o seu produto seja tributado é preciso ficar atento ao valor do imposto a ser pago. A tributação pode ocorrer de duas formas distintas. A mais comum delas é quando a fiscalização se baseia no valor declarado do produto, constante na nota fiscal ou na documentação anexa. Nesse caso o imposto é cobrado sobre o valor declarado.
Contudo, pode ocorrer de o fiscal que analisa a sua mercadoria não concordar com o valor descrito na encomenda. Em casos como esses, ele é autorizado a abrir a sua encomenda e atribuir um novo valor a ela. Sobre esse novo valor é que será calculada a alíquota.
Assim, ao chegar a uma agência do Correio, verifique o valor sobre o qual você está pagando a alíquota. 
Caso você não concorde, é possível recorrer e pedir revisão dos valores. O mais comum é que, caso você prove o valor da compra, a alíquota cobrada incida mesmo sobre o valor original do produto. Para isso, é importante que a pessoa tenha consigo a nota de confirmação da compra que deve ser apresentada junto ao formulário.
Há também aqueles que abrem o esperado pacote e não enxergam o produto com o qual sonharam por semanas. Quando isso acontece, a confirmação do engano é feita pelos correios de destino e origem. Somente neste caso pode ser feita a devolução da mercadoria e o não pagamento do imposto.
A mesma lógica serve para desmistificar uma característica que se tornou comum entre os importadores ou aqueles que recebem muitas mercadorias do exterior. Muitos afirmam que, caso você declare o produto como gift (presente) essa alíquota acaba não sendo cobrada pela fiscalização. Essa informação não procede. 
Caso o fiscal julgue necessário, ele poderá abrir a sua encomenda declarada como gift e atribuir um valor à mercadoria. Da mesma forma, para retirá-la dos Correios você precisará pagar a alíquota ou recorrer. Independente do valor final atribuído, no final das contas, você acabará tendo o produto tributado. 
A carga tributária é alta. Vale a pena importar?
 
A carga tributária que incide sobre os produtos importados pelos brasileiros é alta. Reformas tributárias vêm sendo discutidas há muito tempo no Congresso Nacional e no Senado, mas é pouco provável que tenhamos mudanças significativas nesse cenário ao menos em 2011. Porém, ainda assim, em muitos casos é válido importar produtos para o Brasil. O primeiro aspecto que você deve levar em consideração é a disponibilidade da mercadoria em questão por aqui. Caso exista um similar nacional, se colocarmos as alíquotas tributárias em um comparativo, é provável que a diferença de preços entre eles seja pouco significativa. 
Todavia, produtos que não disponham de concorrentes ou modelos idênticos por aqui, podem opções interessantes de importação. Discos de Blu-ray, aparelhos eletrônicos, itens de coleção e outras mercadorias de produção limitada ou não fabricadas no país são objetos a serem considerados para compra no exterior. 
Proibições e isenções para os consumidores online
Eletrônicos usados podem ser encontrados com facilidade na web e por um preço mais acessível que o posto na vitrine da loja. Porém, a emoção não deve subir a cabeça nesse momento. A legislação brasileira, segundo Hélio Sandro dos Santos, proíbe a entrada de produtos usados no Brasil. “Se a gente perceber que a mercadoria é usada, ela vai ser recolhida e será aplicada uma pena de prendimento”, explica. O objeto, então, pode ser levado a leilão, doado para alguma entidade beneficente ou ser incorporado ao patrimônio público. A exceção é feita, por exemplo, para instituições beneficentes do exterior que fazem remessas para instituições do gênero no Brasil.
Já para material de leitura, a entrada em território brasileiro é livre, para sorte dos leitores vorazes. “A constituição brasileira estabelece a imunidade tributária para livros, revistas, jornais, periódicos e material destinado a impressão, como papel jornal”, explica o funcionário da Receita Federal. Não importam a quantidade de páginas, o valor ou o peso, a isenção de imposto vale para qualquer tipo de livro e independentemente da forma como ele irá entrar no País.
 Saiba mais lendo sobre o II no site oficial da Receita Federal do Brasil.
Tags , , , , ,

Dica/ Item de Desejo: Trench Coat

A dica de moda de hoje é também um item de desejo. Quero por quero um, e assim indico a todos que querem fazer bonito no inverno. 

É verdade que aqui no Brasil, e boa parte o inverno passa quase despercebido, mas mesmo assim se o frio “bater” o uso está liberado e você nem vai parecer o “esquisitão”. Mas se na sua região faz muito calor, quando for viajar para um lugar mais frio o uso está liberado, inclusive para as mulheres.

As mulheres podem usar com vestido, saia, calça alfaiataria e até com Jeans e arrematar com tênis, salto e bota. Os homens eu indico também com calça alfaiataria, jeans, camiseta, camisa, gravata e cachecol e nos pés tênis (de bom gosto), chelsea boot (botas), e sapato social, quem sabe…
“Olhaí” que legal:


Espero que tenham gostado do post, e fico por aqui relembrando meu instagram: @thiagoperne e meu twitter @thipernebrasil e @trendtudo.